COMPARATIVE LITERATURE SEEN FROM BRAZIL

José Luís Jobim, João Cezar de Castro Rocha

Resumo


No Brasil do século XIX, um certo viés do comparatismo baseava-se em uma visão que comparava e contrastava nações. Isto pode ser comprovado no mais famoso poema nacionalista do século, a “Canção do exílio” de Gonçalves Dias. Neste poema, ele compara o Brasil à sua antiga metropole, Portugal. No entanto, em 1873, Machado de Assis produziu uma série de argumentos contra a onda nacionalista e antecipou questões que só seriam tratadas mais tarde por Hugo Meltzl (1846-1908), o fundador da primeira publicação dedicada à Literatura Comparada: Acta Comparationis Litterarum Universarum [1877-1888]. Mesmo no ambiente interdisciplinary do século XX, deve-se notar que as associações de Literatura Comparada são organizadas por nacionalidade até hoje, a despeito da existência da Associação Internacional de Literatura Comparada. No caso da Associação Brasileira de Literatura Comparada, ela surgiu nos anos oitenta e foi definida por Antonio Candido como uma “entidade que representa uma fase nova da disciplina em nosso meio”.

Palavras-chave


Literatura Comparada; História; Brasil

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Literatura Comparada, ISSN 0103-6963

Licença Creative Commons
Esta revista utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.