O RISO E O EROTISMO COMO FUNDAMENTOS EPISTEMOLÓGICOS DA ESCRITA ROMANESCA DE MILAN KUNDERA

Maria Veralice Barroso

Resumo


RESUMO: O presente artigo, tem por objetivo realizar uma análise do conto Personne ne va rire[1], procurando nele delinear o surgimento do que poderia ser compreendido como um importante componente da espinha dorsal do projeto estético romanesco de Milan Kundera: a personagem de Don Juan. Destacando o riso e o erotismo como elementos constitutivos do donjuanismo, consequentemente, como fundamentos da escrita ficcional kunderiana, intenta-se uma incursão epistemológica pela narrativa Personne ne va rire, buscando, a partir dela, ampliar as possibilidades acerca do que nos é possível saber sobre a existência  quando tomamos por objeto de investigação o espaço literário do romance moderno.


[1] Ninguém vai rir


Palavras-chave


Palavras-chave: Milan Kundera, erotismo, riso, Don Juan, romance moderno, epistemologia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Literatura Comparada, ISSN 0103-6963

Licença Creative Commons
Esta revista utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.