SEXUALIDADES EXTRA-VAGANTES: JOÃO DO RIO, EMULADOR DE OSCAR WILDE

César Braga-Pinto

Resumo


O artigo discute, primeiramente, como na virada do século XIX para o XX, o termo “extravagância” permitiu a representação de sexualidades e comportamentos dissidentes. A seguir, analisa o modo pelo qual um grupo de artistas conhecidos como extravagantes, entre eles o escritor mulato e supostamente homossexual João do Rio (pseud.) encontrou na figura de Oscar Wilde uma linguagem que legitimasse o gesto de pertencimento cosmopolita em um momento de crescente demanda por autenticidade, originalidade e identidade.

Palavras-chave


imitação, homossexualidade, dândis, decadentismo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Literatura Comparada, ISSN 0103-6963

Licença Creative Commons
Esta revista utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.