ENTRE MOURAS ENCANTADAS E ENCANTADOS DA AMAZÔNIA: UMA ABORDAGEM DECOLONIAL

Sonia Maria Gomes Sampaio, Mara Genecy Centeno Nogueira

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar como agiu o colonizador ibérico quando chegou ao Novo Mundo e se deparou com povos nativos de culturas muito diversas e de como ignoraram totalmente os costumes e tentaram invisibilizar o outro. Além do mais, o texto em questão visa discutir e examinar como elementos da cultura popular portuguesa foram infiltrados e ressignificados no Brasil e como os “restos ou rejeitados” fizeram para manter viva a sua base cultural. Para fazermos tal percurso apresentaremos a lenda da Moura Encantada e a da Moura Torta, ambas europeias, e as analisaremos tendo como contraponto as narrativas de mitos indígenas, dentre eles o da Iara, de forma a demonstrar que o caldeirão cultural não foi e não é uma via de mão única e que muitos de nossos personagens mitológicos encontrados, principalmente, nas florestas do Brasil e de outros países da América do Sul, renderam histórias e aguçaram o imaginário europeu, especialmente, sobre a Amazônia e tudo que nela pode ser reinventado. Para referendar nossas análises nos valeremos dos autores Walter Mignollo, Aníbal Quijano e Edgardo Lander e Frantz Fanon.


Palavras-chave


Amazônia. Colonizador. Encobrimento. Encantados

Texto completo:

PDF
39 visualizações.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Brasileira de Literatura Comparada está indexada nas seguintes bases:


Rev. Bra. Lit. Comp. Niterói, v.22, n.39, jan. / abr. 2020

Revista Brasileira de Literatura Comparada, ISSN 0103-6963, ISSN 2596-304X (on line)

Licença Creative Commons
Esta revista utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0).