Notícias

Chamada v. 23, n. 44 (2021/3): Revista Brasileira de Literatura Comparada

 

Chamada de artigos

 Volume 23, n. 44 (2021/3)

 Trans-identidades:

literatura, cinema e outras artes em perspectiva comparada

O jovem século XXI inicia-se com uma abertura sem precedentes para a discussão de gênero, raça/etnia, classe e sexualidade, seja na academia, seja nos movimentos sociais. Nesse cenário, a emersão do ativismo, do pensamento e da autoria trans surge como um lugar epistêmico privilegiado para se pensar/problematizar tanto os regimes de representação quanto a autoria trans (termo aglutinador para as identidades travesti, transexual, transgênera, e não binária e, muitas vezes, também para a queer e a intersexo). Os estudos de literatura comparada não estiveram alheios à crítica feminista, aos estudos gays e lésbicos e aos influxos da teoria queer, e vêm mostrando hospitalidade às discussões de como o campo da cultura tem lidado com as transformações e subversões da gramática simbólica (gramática essa que ainda hoje se mostra acumpliciada a regimes hetero- e cisnormativos no que tange aos campos de produção e de circulação de capital cultural). Como diferentes discursos artísticos têm representado as identidades trans ao longo da história? Como artistas e escritoras/es trans têm feito dos discursos artísticos e literários loci privilegiados para a contestação das normas de gênero e de sexualidade? Que tipo de coalizão pode emergir do encontro das discussões do pensamento trans com outros campos, como os estudos de classe, raça e etnia? Que travessias teóricas, temáticas e conceituais emergem quando o pensamento trans encontra-se/confronta-se com os feminismos, os estudos de gênero e a teoria queer? Essas são algumas das perguntas que, a título de provocação, nortearão a construção deste número temático da Revista brasileira de literatura comparada.

Responsáveis pela organização: Anselmo Peres Alós (UFSM), Amara Moira (Unicamp) e Adauto Locatelli Tauffer (UFRGS).

Prazo para as submissões: 30 de março de 2021

https://revista.abralic.org.br/index.php/revista/index

https://www.scielo.br/revistas/rblc/pinstruc.htm

 

Brazilian Journal of Comparative Literature

(Revista brasileira de literatura comparada)

Call for papers

Volume 23, number 43 (2021/2)

Trans-identities:

literature, cinema and other arts in comparative perspective

The young 21st century begins with an unparalleled openness to the discussion of gender, race/ethnicity, class and sexuality, whether in academia or social movements. In this scenario, the emergence of trans activism, thought and authorship emerges as a privileged epistemic place to think/problematize both the regimes of representation and trans authorship (a binding term for transvestite, transsexual, transgender and non-binary identities, and often also for queer and intersex).The studies of comparative literature have not been unaware of feminist criticism, gay and lesbian studies, and the influences of queer theory, and have shown hospitality to the discussions of how the field of culture has dealt with the transformations and subversions of symbolic grammar (grammar that is still associated with hetero and cisnormative regimes in the fields of production and circulation of cultural capital). How have different artistic discourses represented trans identities throughout history? How have trans artists and writers made the artistic and literary discourses privileged loci to contest the norms of gender and sexuality? What kind of coalition can emerge from the meeting of trans thought discussions with other fields, such as studies of class, race, and ethnicity? What theoretical, thematic and conceptual crossings emerge when trans thought meets/confronts feminisms, gender studies and queer theory? These are some of the questions that, as a provocation, will guide the construction of this thematic number of the Brazilian Journal of Comparative Literature.

Editors: Anselmo Peres Alós (UFSM), Amara Moira (Unicamp) e Adauto Locatelli Tauffer (UFRGS)

Deadline: March 30rd, 2021

https://revista.abralic.org.br/index.php/revista/index

https://www.scielo.br/revistas/rblc/pinstruc.htm

 
Publicado: 2020-08-08 Mais...
 

Chamada v. 23, n. 43 (2021/2): Revista Brasileira de Literatura Comparada

 

Chamada para artigos

 

Direitos humanos, ética e a literatura comparada

Duas revoluções ocorridas ao final do século XVII – a norte-americana, de 1776, e a francesa, de 1789 – são proclamadas em nome da igualdade e da liberdade dos seres humanos. Esses princípios embasam a Declaração Universal dos Direitos Humanos, da Organização das Nações Unidas. Datam também do final do século XVIII as noções de “dever moral” e “imperativo categórico”, formuladas por Emanuel Kant, fundadoras da ética responsável que pauta as ações individuais e coletivas das pessoas. À produção literária e artística é designado um papel, e este pode ser o de poder amparar ou não o exercício da ética e a afirmação dos direitos humanos no contexto da sociedade contemporânea. Da denúncia de tortura e outras formas abusivas de poder às representações da exploração econômica e da opressão de minorias, a literatura e demais expressões artísticas canalizam boa parte de sua atenção aos atos e atitudes desumanizantes. Mas também podem passar ao largo desses temas e criar pontos cegos e zonas de silêncio, não apenas no plano das representações artísticas mas também na seleção de vozes autorais. Como sistema de produção e circulação, a literatura e as artes podem impor empecilhos e restringir ao acesso, tanto no polo da produção quanto no polo da recepção. O campo de literatura comparada têm certamente muito a dizer das relações que a literatura e as artes estabelecem com os direitos humano e a ética em um mundo conturbado pela crise climática, alta concentração de renda e desequilíbrio social, amplas ondas migratórias, xenofobia e genocídio de grupos humanos, violência policial e opressão racial, fortalecimento do radicalismo político conservador e negacionismo da história. Submissões posicionando-se diante deste conteúdo serão muito bem recebidas pela Revista Brasileira de Literatura Comparada.

Organizadores: Carlos Cortez-Minchillo (Dartmouth College); Cilza Carla Bignoto (Universidade Federal de Ouro Preto)

Prazo para envio dos textos: 30 de dezembro de 2020

 

Call for papers

 

Human rights, ethics and comparative literature

Two revolutions that took place at the end of the 17th century - the North American, in 1776, and the French, in 1789 - were staged in the name of equality and freedom of human beings. These principles underpin the United Nations' Universal Declaration of Human Rights. The notions of “moral duty” and “categorical imperative”, formulated by Emanuel Kant, founders of responsible ethics that guide individual and collective actions, also date from the end of the 18th century. A role is assigned to literary and artistic production, which may or may not support the exercise of ethics and the affirmation of human rights in the context of contemporary society. From the denunciation of torture and other abuses of power to representations of economic exploitation and oppression of minorities, literature and other artistic expressions devote much of their attention to dehumanizing acts and attitudes. But they can also bypass these themes and create blind spots and zones of silence, not only in artistic representations but also in the selection of authorial voices. As a system of production and circulation, literature and the arts can impose obstacles and limit access, at both the production and at the reception pole. The field of comparative literature certainly has much to say about the relationship that literature and the arts maintain with human rights and ethics in a world troubled by the climate crisis, high concentration of income and social imbalances, large waves of migration, xenophobia and genocide of human groups, police violence and racial oppression, the strengthening of conservative political radicalism, and negationist views. The Revista Brasileira de Literatura Comparada welcomes submissions related to any of these topics.

Editors: Carlos Cortez-Minchillo (Dartmouth College); Cilza Carla Bignoto (Universidade Federal de Ouro Preto)

Deadline for submissions: December 30, 2020

 
Publicado: 2020-07-23 Mais...
 

Chamada v. 23, n. 42 (2021/1): Revista Brasileira de Literatura Comparada

 

Literatura Comparada na era da pós-teoria

 Os “Estudos Pós-” romperam a unidade da Teoria da Literatura, duramente alcançada nas primeiras décadas do século XX, depois de vencer a concorrência com as Ciências Sociais, a História e a Psicologia, que lidavam com seu objeto sem prestar contas à Poética. A relevância dada a sujeitos até então obscurecidos, como autores de jovens nações nascidas do processo de descolonização, passando por criadores e personagens entendidos desde sua orientação sexual, até temas de clara inscrição política, como a repressão policial, o meio ambiente, a insurgência ou o testemunho, desarmou o posicionamento em princípio imparcial e desapaixonado pretendido pela Teoria da Literatura de base estruturalista, dominante desde os formalismos dos anos 1920 e 1930 até as décadas 1960–1970.

Vertentes que direcionaram os estudos literários e culturais nas décadas subsequentes parecem, contudo, exauridas, dada a reiteração de muitos de seus achados. Talvez seja o momento de pensar os rumos da pós-teoria, cujas bases podem ser discutidas e, se possível, articuladas às propostas da Literatura Comparada.

Submissões posicionando-se diante desse conteúdo serão muito bem recebidas pela Revista Brasileira de Literatura Comparada.

Organizadores: Gerson R. Neumann; Regina Zilberman

Prazo para envio dos textos: 30 de setembro de 2020.

 

Call for papers

 Comparative Literature in the Era of Post-Theory

 “Post-Studies” (Cultural, Colonial, Gender Studies) broke Theory of Literature’s hard-earned unity, achieved in the first decades of the 20th century, after it overcame the competition of Social Sciences, History and Psychology, which disregarded the study of the bond between literary creation and Poetics as a science in its own right. The relevance given to previously ignored subjects, ranging from authors born in nations recently emerged from the decolonization process, to creators and characters understood from the point of view of their sexual orientation, or to topics of clear political inscription, such as police repression, the environment, insurgence or testimonial literature, disarmed the position — which was meant as impartial and dispassionate — of a Theory of Literature based on Structuralism, which had been in force since the formalisms of the 1920s and 1930s, until the 1960s–1970s.

Trends that guided literary and cultural studies in subsequent decades seem, however, to have hit a wall, given the persistent reiteration of many of its findings. Perhaps it is time to think about the directions of Post-Theory, whose bases can be discussed and, if possible, articulated with the proposals of the field of Comparative Literature.

The Revista Brasileira de Literatura Comparada welcomes submissions related to those topics.

Edited by Gerson R. Neumann; Regina Zilberman

Deadline: September 30th, 2020.

 
Publicado: 2020-06-27 Mais...
 

Diretrizes para autores

 
Diretrizes para autores  
Publicado: 2020-03-25 Mais...
 
1 a 4 de 4 itens