Chamada v. 23, n. 43 (2021/2): Revista Brasileira de Literatura Comparada

Chamada para artigos

 

Direitos humanos, ética e a literatura comparada

Duas revoluções ocorridas ao final do século XVII – a norte-americana, de 1776, e a francesa, de 1789 – são proclamadas em nome da igualdade e da liberdade dos seres humanos. Esses princípios embasam a Declaração Universal dos Direitos Humanos, da Organização das Nações Unidas. Datam também do final do século XVIII as noções de “dever moral” e “imperativo categórico”, formuladas por Emanuel Kant, fundadoras da ética responsável que pauta as ações individuais e coletivas das pessoas. À produção literária e artística é designado um papel, e este pode ser o de poder amparar ou não o exercício da ética e a afirmação dos direitos humanos no contexto da sociedade contemporânea. Da denúncia de tortura e outras formas abusivas de poder às representações da exploração econômica e da opressão de minorias, a literatura e demais expressões artísticas canalizam boa parte de sua atenção aos atos e atitudes desumanizantes. Mas também podem passar ao largo desses temas e criar pontos cegos e zonas de silêncio, não apenas no plano das representações artísticas mas também na seleção de vozes autorais. Como sistema de produção e circulação, a literatura e as artes podem impor empecilhos e restringir ao acesso, tanto no polo da produção quanto no polo da recepção. O campo de literatura comparada têm certamente muito a dizer das relações que a literatura e as artes estabelecem com os direitos humano e a ética em um mundo conturbado pela crise climática, alta concentração de renda e desequilíbrio social, amplas ondas migratórias, xenofobia e genocídio de grupos humanos, violência policial e opressão racial, fortalecimento do radicalismo político conservador e negacionismo da história. Submissões posicionando-se diante deste conteúdo serão muito bem recebidas pela Revista Brasileira de Literatura Comparada.

Organizadores: Carlos Cortez-Minchillo (Dartmouth College); Cilza Carla Bignoto (Universidade Federal de Ouro Preto)

Prazo para envio dos textos: 30 de dezembro de 2020

 

Call for papers

 

Human rights, ethics and comparative literature

Two revolutions that took place at the end of the 17th century - the North American, in 1776, and the French, in 1789 - were staged in the name of equality and freedom of human beings. These principles underpin the United Nations' Universal Declaration of Human Rights. The notions of “moral duty” and “categorical imperative”, formulated by Emanuel Kant, founders of responsible ethics that guide individual and collective actions, also date from the end of the 18th century. A role is assigned to literary and artistic production, which may or may not support the exercise of ethics and the affirmation of human rights in the context of contemporary society. From the denunciation of torture and other abuses of power to representations of economic exploitation and oppression of minorities, literature and other artistic expressions devote much of their attention to dehumanizing acts and attitudes. But they can also bypass these themes and create blind spots and zones of silence, not only in artistic representations but also in the selection of authorial voices. As a system of production and circulation, literature and the arts can impose obstacles and limit access, at both the production and at the reception pole. The field of comparative literature certainly has much to say about the relationship that literature and the arts maintain with human rights and ethics in a world troubled by the climate crisis, high concentration of income and social imbalances, large waves of migration, xenophobia and genocide of human groups, police violence and racial oppression, the strengthening of conservative political radicalism, and negationist views. The Revista Brasileira de Literatura Comparada welcomes submissions related to any of these topics.

Editors: Carlos Cortez-Minchillo (Dartmouth College); Cilza Carla Bignoto (Universidade Federal de Ouro Preto)

Deadline for submissions: December 30, 2020