ELOGIO DA AMABILIDADE

Elena C. Palmero González

Resumo


Em seu poema “Lenda sobre o surgimento do livro Tao Te Ching durante o caminho de Lao-tsé à emigração”, Bertold Brecht  fala da amabilidade dos seres humanos. Segundo Walter Benjamin , que se detém na análise desse poema, conhecimentos preciosos para as gerações futuras, como o próprio Tao Te Ching, não se perderam graças à amabilidade, entendida aqui no sentido de fineza e elegância no trato, mas também e, especialmente, como atenção e generosidade concedida aos demais, como educação sem alardes que ganha potência na medida em que se distribui no ensino gentil, obsequioso e pleno de afabilidade. O poema de Brecht e a leitura de Benjamin, que convocam a pensar a amabilidade como destino humano, nos permite pensar na trajetória de um intelectual que dá um sentido especial às amabilidades do mundo acadêmico. Estamos falando do nosso homenageado dessa tarde.

Texto completo:

PDF
200 visualizações.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



APOIO:


A Revista Brasileira de Literatura Comparada está indexada nas seguintes bases:


Rev. Bra. Lit. Comp. Niterói, v.22, n.39, jan. / abr. 2020

Revista Brasileira de Literatura Comparada, ISSN 0103-6963, ISSN 2596-304X (on line)

Licença Creative Commons
Esta revista utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0).

Wildcard SSL Certificates