ANÁLISE CRÍTICA DO FILME CORDA BAMBA: HISTÓRIA DE UMA MENINA EQUILIBRISTA – DO LIVRO AO FILME

Alcioni Galdino Vieira, Alice Atsuko Matsuda

Resumo


Pode-se considerar que a adaptação literária para o cinema parte do conceito de intertextualidade. A teoria intertextual propõe que todo discurso está interligado com outros discursos e, nesse sentido, a adaptação apresenta-se como uma grande rede de discursos entrelaçados, objetivo que o presente artigo pretende demonstrar. Para alcançar esse intuito, primeiramente, será trazida para discussão algumas questões teóricas que irão embasar esse estudo e, em seguida, será apresentada uma análise crítica comparativa da obra literária Corda bamba, de Lygia Bojunga (1979) e o filme Corda bamba – história de uma menina equilibrista, de Eduardo Goldenstein (2012). Verifica-se que o filme funciona como um hipertexto, com links que impulsionam o leitor-espectador a percorrer um verdadeiro mapa rizomático e atribuir sentido ao texto, de acordo com seu universo perceptivo.

Palavras-chave


Intertextualidade. Dialogismo. Gênero fílmico. Corda bamba. Lygia Bojunga.

Texto completo:

PDF
1042 visualizações.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



APOIO:


A Revista Brasileira de Literatura Comparada está indexada nas seguintes bases:


Rev. Bra. Lit. Comp. Niterói, v.22, n.39, jan. / abr. 2020

Revista Brasileira de Literatura Comparada, ISSN 0103-6963, ISSN 2596-304X (on line)

Licença Creative Commons
Esta revista utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0).

Wildcard SSL Certificates