INTERFACES ENTRE A POESIA ÉPICA, O ROMANCE E O ROMANCEIRO EM PARATEXTOS DO SÉCULO XIX

Marcos Machado Nunes

Resumo


Nos começos do Romantismo, o romance, no sentido de poema narrativo longo de matriz medieval, será tomado como modelo para a renovação literária. Contudo, ainda que o foco das atenções recaia sobre o romance, que na Península é relacionado à tradição local do romanceiro (as “baladas ibéricas”), o gênero épico será mantido no horizonte. O trabalho procura demonstrar como, expressando intenções de filiação de gênero, mas também constituindo e negociando posições para autores e obras no campo literário, os paratextos de poemas narrativos longos refletem essa situação.

Palavras-chave


poesia épica, Romantismo, romance, paratexto, literatura portuguesa, literatura brasileira

Texto completo:

PDF
72 visualizações.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



APOIO:


A Revista Brasileira de Literatura Comparada está indexada nas seguintes bases:


Rev. Bra. Lit. Comp. Niterói, v.22, n.39, jan. / abr. 2020

Revista Brasileira de Literatura Comparada, ISSN 0103-6963, ISSN 2596-304X (on line)

Licença Creative Commons
Esta revista utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0).

Wildcard SSL Certificates