THE “CORDIAL MAN”: A LATIN AMERICAN CONCEPT IN THE BRAZILIAN ESSAY

Pedro Meira Monteiro

Resumo


Este artigo analisa Raízes do Brasil (1936), de Sérgio Buarque de Holanda, um livro seminal na tradição ensaística brasileira. A discussão começa com os limites da busca da especificidade nacional no Brasil, de modo a considerar a formação cultural brasileira como uma projeção de suas raízes ibéricas. Neste contexto, o “homem cordial” emerge como uma metáfora para a falta de espaço público no Brasil. Por um lado, o homem cordial é um produto dos debates na virada do século sobre o excepcionalismo latino-americano, uma figura quase capaz de suportar as desilusões do mundo moderno. Por outro lado, o homem cordial oferece uma janela a Buarque de Holanda para os limites do liberalism democrático e as tradições personalistas da América Latina: um impasse discutido extensivamente, mas nunca resolvido em Raízes do Brasil. Em última instância, o livro permite um questionamento mais profundo das pulsões coletivas e dos desejos individuais que, juntos, formam a matéria a que o populismo iria responder, uma forma política temporariamente capaz de atender as expectativas das pessoas.

Palavras-chave


Sérgio Buarque de Holanda (1902-1982), cultura e política no Brazil, ensaísmo, populismo, homem cordial.

Texto completo:

PDF (English)
45 visualizações.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



APOIO:


A Revista Brasileira de Literatura Comparada está indexada nas seguintes bases:


Rev. Bra. Lit. Comp. Niterói, v.22, n.39, jan. / abr. 2020

Revista Brasileira de Literatura Comparada, ISSN 0103-6963, ISSN 2596-304X (on line)

Licença Creative Commons
Esta revista utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0).

Wildcard SSL Certificates