ESTRELAS NASCEM PARA BRILHAR: A EXPANSÃO DAS FRONTEIRAS DO NARRAR-SE TRANS, SOB OS AUSPÍCIOS DA DEMOCRACIA BRASILEIRA (1998-2008)

Leocádia Aparecida Chaves

Resumo


A produção autobiográfica de autoria trans no Brasil contemporâneo é uma das facetas da literatura trans que, desde 2010, vem conquistando com mais vigor o espaço literário. Neste artigo, tendo em vista a necessidade de um recorte, deter-me-ei nas obras autobiográficas publicadas entre 1998 e 2008, as quais, na abordagem proposta, vêm à tona como enunciações rebeldes em relação ao status apresentado, seja pelo sucesso profissional, no caso de Ruddy Pinho (1998, 2007), seja pelo ativismo, como ocorre com a obra de Claudia Wonder (2008). Ambas promovem a dignidade da existência trans pela autoafirmação e/ou autoidentificação.

Palavras-chave


autobiografia; transgeneridade; narrativas de saber; autovalorização; autoidentificação

Texto completo:

PDF
38 visualizações.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



APOIO:


A Revista Brasileira de Literatura Comparada está indexada nas seguintes bases:


Revista Brasileira de Literatura Comparada, ISSN 0103-6963, ISSN 2596-304X (on line)

Licença Creative Commons
Esta revista utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0).

Wildcard SSL Certificates