CONECTANDO OS FRAGMENTOS DE JOSÉ ENRIQUE RODÓ: UMA ANÁLISE DOS ORIGINAIS DE ARIEL

Elisângela da Silva Santos

Resumo


A obra Ariel, do pensador uruguaio José Enrique Rodó foi publicada pela primeira vez em 1900 e escrita num momento crucial da história do continente. O eixo principal deste artigo é realizar uma análise dos materiais preparatórios da obra, a partir de uma pesquisa realizada nos arquivos do autor, lotados na Biblioteca Nacional do Uruguai. A análise dos seus arquivos nos auxiliou na recuperação de muitas leituras e debates realizados por Rodó no momento em que antecede à conclusão da obra. Pudemos observar que as teorias filosóficas acessadas por ele foram encaradas como mecanismos de conexão entre Europa e América. A partir de cada material preparatório da obra, encontramos um Rodó que escrevia e reescrevia suas ideias de modo minucioso. Nossa tentativa foi buscar perceber como em meio a esse emaranhado de “rascunhos soltos”, “leituras diversas”, podemos fundir e observar uma interpretação da realidade americana em processo de construção.

Palavras-chave


José Enrique Rodó; manuscritos de Ariel; arquivo; América Latina; memória.

Texto completo:

PDF
29 visualizações.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



APOIO:


A Revista Brasileira de Literatura Comparada está indexada nas seguintes bases:


Revista Brasileira de Literatura Comparada, ISSN 0103-6963, ISSN 2596-304X (on line)

Licença Creative Commons
Esta revista utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0).

Wildcard SSL Certificates