BORGES, CLARICE, E O DESENVOLVIMENTO DA “NOVA NARRATIVA” LATINO-AMERICANA

Earl E. Fitz

Resumo


A “Nova Narrativa” latino-americana é rotineiramente associada à escrita de vanguarda de escritores hispano-americanos como Borges, Rulfo, Cortázar, García Marquez, entre outros. No entanto, é possível traçar uma outra história da narrativa experimental na América Latina, uma
que tem sua origem no Memórias póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis, publicado em 1880. Ao comparar o texto de Ficciones de Jorge Luís Borges e o romance Perto do coração selvagem de Clarice Lispector, percebe-se o desenvolvimento dessas duas histórias e de duas teorias da
narrativa que se aproximam, respectivamente, do estruturalismo e do pós-estruturalismo, duas vertentes da teoria literária em muito posteriores à obra desses dois escritores. Pode-se, assim, atestar a complexidade do desenvolvimento da teoria da narrativa ficcional em solo americano,
em suas diversas linhas de formação.

Palavras-chave


Nova Narrativa; narrativa interamericana; narrativa experimental

Texto completo:

PDF
49 visualizações.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



APOIO:


A Revista Brasileira de Literatura Comparada está indexada nas seguintes bases:


Revista Brasileira de Literatura Comparada, ISSN 0103-6963, ISSN 2596-304X (on line)

Licença Creative Commons
Esta revista utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0).

Wildcard SSL Certificates