CORINA COARACI: CRÔNICAS DO SÉCULO XIX PARA SEREM LIDAS NO SÉCULO XXI

Eliane Vasconcellos, Moema Mendes

Resumo


Corina Coaraci (Estados Unidos, 18/4/1859 – 23/3/1892) foi jornalista, filha da americana Mary Frances Lawe e do jornalista brasileiro Carlos Francisco Alberto de Vivaldi. A convite de José do Patrocínio, entrou para a redação do jornal Cidade do Rio, onde passou a escrever a coluna semanal “A Esmo”. Coaraci colaborou em periódicos, como: Illustração Brazil, South American Mail, Illustração Popular, Folha Nova, Gazetinha, The New York Herald, Cidade do Rio, Correio do Povo, O Paiz. Sua atividade literária não se limitava a simples comentários ou a notícias de faits divers. No Cidade do Rio, a cronista transita por diversos temas, como roubos, assassinatos, infanticídios, notícias literárias e políticas. Outro assunto importante ao qual damos destaque é a posição da mulher enquanto ser social. Ela preconizava a ampliação legal dos direitos civis e políticos da mulher, equiparando seus direitos aos dos homens. Embora não tenha publicado nenhum livro de sua autoria, Corina Coaracy é um nome significativo em nossas letras. Elegemos como corpus o período de 5 de julho a 27 de setembro de 1890 da citada coluna para as reflexões que constituem este artigo. Seu objetivo é divulgar a sua obra, fazê-la conhecida a fim de que pesquisadores tenham acesso à sua produção com o objetivo de conhecer o que escreviam e publicavam as mulheres no século XIX.

Palavras-chave


Corina Coaraci; Edição de texto; Coluna “A Esmo”; Cidade do Rio.

Texto completo:

PDF
88 visualizações.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



APOIO:


A Revista Brasileira de Literatura Comparada está indexada nas seguintes bases:


Revista Brasileira de Literatura Comparada, ISSN 0103-6963, ISSN 2596-304X (on line)

Licença Creative Commons
Esta revista utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0).

Wildcard SSL Certificates